HISTÓRIA DOS BAIRROS

06/04/2018

Enchentes na Vila Palmeiras não são de hoje

As enchentes das várzeas do Tietê não são de agora, portanto, é falácia dizer que as enchentes de hoje é tudo culpa do povo por causa de lixo colocado nas ruas, é certo que isso ajuda, também, mas o problema é mais amplo, vide as enchentes do Rio Cabuçu, que está hoje canalizado sob a Av. Inajar de Souza, nesta foto de 1967 ou 1968.

- ‘A Foto é da Rua dos Rodrigues e foi cedida por nosso amigo e companheiro de enchentes o Keiji (pedro keiji moriya), foto de ótima qualidade e de grande valor histórico, feita pelo pai do Keiji que era um amante da fotografia. Podem viajar à vontade... Olha o ‘busão’ da CMTC 822 ‘rasgando’ a enchente" – escreveu Moizes Pires, do grupo Memórias de Vila Palmeiras.

REMINISCÊNCIAS:
Neuza Guerreiro diz: "e quando enchia tudo, A água chegava até a Rua Santa Ângela. Não tenho saudades disso não!".
Dirce Somoulis: "Eu ia pra enchente, escondido de minha mãe, se não apanhava quando voltava pra casa toda encharcada".

Fabio Borges: "Essa rua dessa primeira casa deve ser a Ventura Rangel, onde depois foi uma padaria a onde estão essas pessoas, à direita é onde eu morei em 1980".
Pedro Castro: "Nesta época já havia a ponte de concreto, por isso vemos o ônibus ali. Aquele comércio à esquerda era uma tinturaria, do Pai do Eli (ambos já falecidos). Hoje é o Bar do Elano".

Suely Celestrin: "Vou ser sincera, eu amava a enchente e me divertia na água. Tempo bom".

Total de 197 Notícias | Página 1 de um total de 16

A Pedreira Vega foi marcante no início da Vila Brasilândia, pois chegou à região antes mesmo do loteamento que deu nome ao bairro, hoje distrito Brasilândia, em 1939. A Pedreira Vega oferecia moradia a seus empregados e trouxe um considerável número de famílias para a região, principalmente a partir de 1946, quando passou a funcionar em sua plenitude.   leia mais...

O bairro da Freguesia do Ó é quatrocentona e tem os seus Largos (da Matriz de N.S. do Ó e Matriz Velha) como referências. Também inspirou artistas, como Salvador Ligabue, que pintou o Largo da Matriz Velha original, além de diversos outros cenários.   leia mais...

A Rua Parapuã é a via de ligação entre os bairros Itaberaba e Brasilândia, cujos loteamentos são de 1938 e 1947, respectivamente. A via é originária do loteamento Itaberaba, que só conseguiu ser mais bem ocupada com o advento do loteamento Brasilândia, que faz aniversário de 72 anos em 24 de janeiro/2019.   leia mais...

A Vila Penteado faz parte hoje do distrito Brasilândia e localiza-se entre a o Largo da Parada (lados direito e esquerdo), no final da Av. João Paulo I, divisando-se com o loteamento Vila Brasilândia, na Rua Joaquim Ferreira da Rocha (antiga Guariroba). Nos anos 60 havia dois lagos grandes onde hoje é o Sacolão da Prefeitura e outros equipamentos públicos, posteriormente aterrados.   leia mais...

Avenida Parada Pinto tem esse nome por um razão muito simples, em sua parte final, perto do Parque Horto Florestal, existiu uma parada do Trem da Cantareira, o famoso Trem das Onze do Adoniram Barbosa. Já essa Parada da foto ficava entre a do Tremembé e a do Horto Florestal.   leia mais...

Há 32 anos o Supermercado Cândia (em 7/11/1986) era inaugurado na Av. Itaberaba, 1863, depois se transformou no Big Supermercados, e por fim foi comprado pela rede Sonda, que está lá até hoje. Foi uma grande sensação no bairro e para toda a população das vilas próximas. Ajudou a impulsionar o comércio neste trecho da Av. Itaberaba e que até hoje se mantém.   leia mais...

Meu avô, Pietro Brugnera, nasceu em 1873, em Castelfranco Veneto, província de Treviso, no norte da Itália, filho de Ângela Marcolin e Sante Brugnera. Creio que após completar a maioridade foi para a Alemanha, onde conheceu Arturo Martinelli e os dois resolveram vir para o Brasil. Ao chegarem, montaram uma olaria, ou seja, uma fábrica de tijolos e de outros objetos de argila, como telhas e manilhas. Ficaram sócios por cerca de cinco anos...   leia mais...

Pesquisa realizada pelo editor do Freguesia News sobre artistas do passado encontrou um pintor italiano que viveu na Cidade, Felisberto Ranzini (Brazilian, 1881–1965), que pintou pelo menos quatro temas na região: Ponte grande sobre o Rio Tietê , 1941 ; Rio Mandy - Freguesia do Ó; Ponte da Casa Verde e Igreja, 1910; Ponte Sobre o Rio Tiete, Estrada da Freguesia do Ó, 1918.   leia mais...

Tem quem pergunte por que a Av. Santa Marina tem dois pedaços sem nenhuma conexão, um na Água Branca, outro na Freguesia do Ó? Simplesmente porque se trata da mesma via, que foi separada quando da retificação do Rio Tietê e construção das Marginais nos anos 60.   leia mais...

O bairro da Vila Palmeiras é peculiar na Freguesia do Ó, pois conseguiu manter-se como uma vila nos moldes antigos, onde ainda se vê muita gente nas ruas e tem um comércio de pequenas lojas.   leia mais...

Uma das melhores páginas regionais do Facebook é a que foi criada por Moizes Pires, a do Grupo de Memórias de Vila Palmeiras – que resgata fotos e fatos regionais deste bairro da Freguesia do Ó.   leia mais...

Tem quem pergunte por que a Av. Santa Marina tem dois pedaços sem nenhuma conexão, um na Água Branca, outro na Freguesia do Ó? Simplesmente porque se trata da mesma via, que foi separada quando da retificação do Rio Tietê e construção das Marginais nos anos 60.   leia mais...

Enquete

Você acredita que a presidenta Dilma:

  • 1) Irá reerguer a Petrobrás e o Brasil e continuar seu mandato?
  • 2) Não dá mais, deve sofrer o Impeachment.

1) Irá reerguer a Petrobrás e o Brasil e continuar seu mandato?

25%

2) Não dá mais, deve sofrer o Impeachment.

74%

Geral  |  Política  |  Esportes  |  Variedades  |   Cultura  |  Educação  |  Saúde  |  Roteiros do Ó
Varejão dos Imóveis  |  História dos Bairros  |  Culinária  |   Ecologia  |  Videos  |  Fale Conosco
LAPA NEWS  |  FOLHA DE PIRITUBA  |  FREGUESIA NEWS  |  ZONA NORTE NEWS

Freguesia News - Copyright © 2011. Todos os direitos reservados
Sede Própria: Largo da Matriz Velha, 36 - Freguesia do Ó - São Paulo | Pabx/Fax: (11) 3931 6383 | E-mail: freguesianews@gmail.com