Freguesia do Ó

Árvores estão doentes e podem cair com vendavais

O jornal AgoraSP registrou que o número de reclamações relacionadas a árvores teve um aumento de 17,5% em setembro e outubro de 2020, na comparação com o mesmo período do ano passado, subindo de 456 para 536 registros. Os dados são da Ouvidoria da prefeitura de São Paulo, gestão Bruno Covas (PSDB).

Isso acontece devido à falta de prevenção e cuidados com as árvores da Cidade, que são plantadas e crescem desmesuradamente e ganham podas mal feitas; tem seus canteiros restritos e acabam sufocadas, as raízes não conseguem se desenvolver adequadamente e também sofrem ataques de cupins e parasitas, sem que a Prefeitura tenha qualquer programa de tratamento ou cuidados. A Secretaria do Verde tem orçamento de 0,33% do total para 2021.

NA AV. ITABERABA
Há quatro árvores pau-ferro que pedem socorro na Av. Itaberaba, em frente ao Cemitério Freguesia do Ó, estão doentes e nada acontece. Rui Primo, preservacionista da Freguesia do Ó, já fez reclamação oficial na Prefeitura, muitas delas em vão.

Ele conseguiu, pelo menos, que os canteiros destas fossem alargados no início do mês, mas o tratamento e combate às doenças das mesmas não aconteceu.

  • “Não é para arrancar, cortar, podar, nada disso, é para tratar as árvores, antes que fiquem enfraquecidas e com fortes chuvas e vendavais caiam, causando danos” – disse ele.

DADOS
Segundo o Agora, considerando os dez primeiros meses deste ano, foram 2.106 queixas relacionadas a árvores, o que colocou esse assunto entre os mais reclamados. Ou seja, a cada dia, quase sete registros sobre isso são feitos no órgão municipal. Esse número não quer dizer, necessariamente, que foram 2.106 árvores com problemas, já que um mesmo exemplar pode ter sido alvo de mais de uma ligação para a Ouvidoria.

Mostrar mais

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo