ECOLOGIA

11/11/2016

Palmeiras privatiza espaço público e nada acontece.

O Movimento Água Branca tem denunciado a situação caótica que se forma no entorno do campo do Palmeiras em dias de jogos e eventos. Diz que o Palmeiras "privatiza a Rua Turiaçu/ Palestra Itália, que é usada como extensão da Arena Allianz Parque, com a ocupação das ruas Caraíbas, Diana, Cayowa e Turiaçú/ Palestra".
São milhares de pessoas, clientes do clube, com barracas de comida e bebida montadas em toda a extensão das ruas e calçadas, bloqueando o acesso para carros, as entradas das garagens das casas e prédios, um feira livre sem precedentes (ver vídeo, no link).
- "Isso se chama privatização do espaço público. A Arena não comporta seu público, e as ruas e calçadas são usadas como extensão do Palmeiras" – diz o Movimento Água Branca .
O Movimento questiona se a S. E. Palmeiras e seus parceiros pagam para a prefeitura pela utilização de via pública - a exemplo dos comerciantes de rua que pagam TPU - termo de permissão de uso. Ou quanto se o Palmeiras paga para a prefeitura recolher as toneladas de lixo deixado nas ruas pelos clientes que pagam para assistir a um jogo de futebol.
A resposta é simples: o Palmeiras não paga nada – "e quem paga é você, nobre cidadã e cidadão. As medidas mitigadoras dos transtornos em dias de jogos são pagas com dinheiro público. O seu dinheiro". A questão é: Como fica?

Não foi possível estabelecer uma conexão com o gerenciador MySQL. Favor Contactar o Administrador.