POLÍTICA

28/09/2018

Deputado Celino sai de cena, mas o trabalho continua, diz

Cumprindo seu último mandato, Celino Cardoso deixa à vida parlamentar no final de ano, para se dedicar sua vida profissional e à família. Com sentimento de dever cumprido diz que "se sente feliz por todo trabalho que desenvolveu, mesmo tendo ti algumas frustrações ", como a luta que travou pelo Metrô, que hoje está com as obras paradas.

A pedido de eleitores, afirma que o trabalho não irá parar, como o atendimento de cerca de 100 pessoas por dia no seu escritório. Celino está apoiando sua chefe de gabinete, Sandra Santana, para, se eleita, dar continuidade ao projeto político. Leia a entrevista dada ao editor Célio Pires.

POR QUE OPTOU PELA POLÍTICA?
Entrei na política porque cresci na Vila Brasilândia, comecei a trabalhar com oito anos de idade, em uma padaria. Meu pai ajudava muito as pessoas da região, por ver neste bairro muito abandono. Adulto, passei a buscar soluções para o bairro e vi na política um meio de ajudar. Sai candidato a vereador, em 1988, e deputado em 1990, mas só me elegi em 1994, e sou deputado há seis mandatos consecutivos. São 30 anos de envolvimento na política, sem acusações ou processos. Um parlamentar ficha limpa.

E COMO FOI SER DEPUTADO?
Optei por ser um parlamentar distrital, pois sempre foquei meus mandatos na zona norte e eles foram representativos e não temáticos ou ideológicos. Ao tomar posse em 1995, encontrei os hospitais Penteado, Taipas e Cachoeirinha sem pronto-atendimento, as viaturas da polícia dependiam de ajuda do comércio para serem consertadas e havia filas no entorno das escolas em época de matrículas. Os pais dormiam na fila para conseguirem vaga. A Sabesp estava sucateada, eram comuns os rodízios de água e os esgotos a céu aberto.

E O QUE VOCÊ FEZ DE IMEDIATO?
Logo no meu primeiro mandato, solicitei ao governador Mario Covas a construção de três escolas, simultaneamente, na Brasilândia: uma no Jd. do Tiro, Jair Toledo, uma na Vila Teresinha, Claudino Sergio dos Santos, e uma no Jd. Brasília, Profª Eulice Silvio Mendonça da Silva. Solicitei a abertura dos hospitais e a compra de novas viaturas e o aumento do efetivo da polícia. Também reivindiquei projetos de coberturas de quadras e por programas que abriram as escolas nos finais de semana. Foram solucionados muitos problemas de esgoto a céu aberto e construídas muitas redes de água em todo nosso território, acabando com os rodízios constantes. Obras que beneficiaram milhares de famílias.

E SOBRE A FALTA DE MÉDICOS?
Há muitos problemas, mas a minha luta foi constante para trazer recursos para a saúde da nossa região. No Hospital Penteado, por exemplo, consegui trazer recursos para a Ala de Queimados e para compra de diversos equipamentos. Recentemente, consegui junto à Secretaria da Saúde, a contratação de uma empresa terceirizada para os atendimentos médicos. Também foi aberto o Hospital São José, conhecido como Hospital do Homem, no Imirim. O problema também se deve ao fato de que pessoas do Brasil inteiro vêm se tratar em São Paulo. A falta de médicos envolve questões complexas.

VOCÊ ACHA QUE HOUVE MELHORIAS NO GERAL?
Mantive o meu escritório aberto todos os dias da semana, nos últimos 24 anos, atendendo reivindicações e encaminhando demandas locais. São pessoas que não conseguem falar com governador, prefeito e secretários e eu consigo, não porque eu sou melhor do que elas, mas porque eu tenho um mandato justamente para representá-las. Então, busco soluções e recursos. E não é a toa que fui eleito seis vezes no mesmo lugar. Se não tivesse realmente trabalhado isso jamais aconteceria. Entre as nossas conquistas, destaco a construção do Centro Cultural da Juventude Ruth Cardoso, cujas obras estavam paradas há 20 anos. Levamos o governador José Serra à Vila Nova Cahoeirinha e as obras foram retomadas e a inauguração ocorreu no seu primeiro ano de mandato. Hoje, há duas Fábricas de Cultura e duas Casas de Cultura, escolas técnicas no Jd. Paulistano, Pirituba, Jaraguá e Perus. Foram muitas outras conquistas. Tudo isso tem a minha representatividade e esforço. Luto por tudo aquilo que é um direito do cidadão e um dever do Estado.

E AS OBRAS PARADAS DO METRÔ?
Fico frustrado como todas as pessoas da região. A paralisação das obras (da Linha 6-Laranja) não é uma questão política e, sim, falta de recursos do consórcio construtor (que deveria arcar com 50% da obra) e que ficou sem crédito junto ao BNDES por envolvimento na "Operação Lava Jato". O governo tem R$1 bilhão e 754 milhões parados, carimbados, para a obra do Metrô, mas depende de nova licitação. A decisão da construção foi tomada na gestão Serra, atendendo pedidos insistentes meus, e o seu início na gestão Alckmin. Já foi gasto R$1 bilhão em desapropriações e R$1,5 bilhão nas obras. O que nos faz ver que a obra é irreversível, que a luta não foi em vão e é só uma questão de tempo para tudo ser retomada.

COMO FICARÁ A REGIÃO COM SUA SAÍDA DE CENA?
Tenho 62 anos, trabalho há 54, com 30 anos de dedicação à política, estou cansado, tenho minha vida profissional e sinto que dei minha contribuição na vida pública. Não me envergonho das obras paralisadas do Metrô, por não ter sido culpa minha. Além disso, me sinto tranquilo porque acredito que a região continuará sendo bem representada com Sandra Santana, atuando no estadual, e com a minha filha, Aline Cardoso, no municipal.

Total de 411 Notícias | Página 1 de um total de 34

A despeito da contestação das pessoas que conhecem a história da Freguesia do Ó, a Prefeitura Regional instalou a réplica em local distinto de onde estava o que foi subtraída e fora do local onde a partida dos soldados para a Guerra do Paraguai aconteceu – razão do marco. O correto seria colocá-lo no Largo da Matriz Velha, mas está sendo instalado ao lado da igreja Matriz.   leia mais...

Cleto Vitor, coordenador do Movimento Ponte de Pirituba Já, diz que "está claro que a Ponte Pirituba - Lapa não será construída na atual gestão da Prefeitura, pois não se vejo vontade política pra isso", diz. Leia o artigo que escreveu e que mostra os entraves que emperram o início das obras que tem projeto executivo pronto.   leia mais...

O morador Lauro Ribeiro fez solicitação à prefeitura, através de ofício mandado ao vereador Claudinho de Souza (PSDB), para construção de uma báia, sentido Centro na Avenida Deputado Cantídio Sampaio.   leia mais...

Foram mais de 43 mil pessoas que escolheram votar em Sandra Santana, mas insuficientes para elegê-la deputada estadual. "Trabalhamos muito, ao longo desses 24 anos, ao lado do deputado Celino Cardoso, e lutamos muito para vencer essa campanha. Infelizmente, não foi a vontade do povo, nem a vontade de Deus.   leia mais...

Nas eleições para presidente da República se observou diferenças significativas nos votos dos moradores da Brasilândia e da Freguesia do Ó na votação de domingo, 9/10/18. Bolsonaro teve 7% a mais votos na Freguesia do Ó.   leia mais...

Com casa cheia, no dia 3 de agosto, aconteceu na Associação Comercial Distrital Noroeste um encontro sobre a Operação Urbana Consorciada Água Branca (OUCAB) e Ponte de Pirituba. O vereador Paulo Frange (PTB) proferiu uma elucidativa palestra sobre o assunto.   leia mais...

Cleto Vitor, coordenador do Movimento Ponte de Pirituba Já, diz que "está claro que a Ponte Pirituba - Lapa não será construída na atual gestão da Prefeitura, pois não se vejo vontade política pra isso", diz. Leia o artigo que escreveu e que mostra os entraves que emperram o início das obras que tem projeto executivo pronto.   leia mais...

Você deve ter ouvido ou visto em muitos lugares por aí sobre a campanha Outubro Rosa, não é mesmo? Em novembro, as coisas mudaram de cor e a campanha Novembro Azul ganhou espaço. Super importante para a saúde dos homens, a ação tem o objetivo de combater o câncer de próstata promovendo a conscientização da importância dos exames regulares e diagnóstico precoce.   leia mais...

O trabalho de intermediação entre os problemas regionais e governo, feito pelo deputado Celino, por 24 anos, e que possivelmente não mais acontecerá com a não eleição da sua chefe de gabinete, Sandra Santana, no escritório político, que funciona na esquina da Avs. Santa Marina e Miguel Conejo – com atendimento de mais de 100 pessoas por dia – irá fazer falta à população.   leia mais...

Freguesia do Ó e Brasilândia são universos bem diferentes. Se na Vila Brasilândia, o petista Marinho ficou em primeiro lugar, na Freguesia do Ó ficou em quarto; e Dória que ficou em quarto na Brasilândia é o primeiro na Freguesia do Ó. Veja os mais votados na região.   leia mais...

Ricardo Meier, repórter do site metrocptm, explica que, perto de completar dois anos com a obra parada, a Linha 6 ainda está longe de ter um novo desfecho. O governo está nos trâmites para concluir a caducidade do contrato, mas não explicou ao site em que fase exatamente ele está.   leia mais...

As obras do Metrô Linha 6 (Brasilândia-São Joaquim) foi tema de nova reportagem, desta vez da TV Record que mostrou os transtornos gerados pela paralisação das obras, devido à corrupção do Petrolão, já que as empresas do Consórcio Move SP que realizavam as obras, através de Parceria Público Privada estão envolvidos até a medula no esquema de corrupção que envolveu o governo federal.   leia mais...

Enquete

Você acredita que a presidenta Dilma:

  • 1) Irá reerguer a Petrobrás e o Brasil e continuar seu mandato?
  • 2) Não dá mais, deve sofrer o Impeachment.

1) Irá reerguer a Petrobrás e o Brasil e continuar seu mandato?

24%

2) Não dá mais, deve sofrer o Impeachment.

75%

Geral  |  Política  |  Esportes  |  Variedades  |   Cultura  |  Educação  |  Saúde  |  Roteiros do Ó
Varejão dos Imóveis  |  História dos Bairros  |  Culinária  |   Ecologia  |  Videos  |  Fale Conosco
LAPA NEWS  |  FOLHA DE PIRITUBA  |  FREGUESIA NEWS  |  ZONA NORTE NEWS

Freguesia News - Copyright © 2011. Todos os direitos reservados
Sede Própria: Largo da Matriz Velha, 36 - Freguesia do Ó - São Paulo | Pabx/Fax: (11) 3931 6383 | E-mail: freguesianews@gmail.com